Mais
    InícioBreak PublicitárioMonopólio da Adobe | Break Publicitário #41

    Monopólio da Adobe | Break Publicitário #41

    No episódio 41 do Break Publicitário, Matheus Ferreira, Erik Rocha e Victor Alexandro conversam sobre o Monopólio da Adobe e a força do Photoshop

    EM GKPB.COM .BR

    Publicidade

    Se você é do ramo do design certamente já houve um momento em que se viu preso dentro das ferramentas do monopólio da Adobe. A falta de concorrentes no mercado faz com que a empresa se aproveite de preços não tão acessíveis enquanto tenta lidar com seu maior arqui-inimigo: A pirataria.

    Será que existem concorrentes à altura que são desconhecidos? É possível trabalhar com edição de imagem e vídeo fugindo das garras da Adobe? Nesse episódio falamos um pouco sobre essas e outras questões.

    Continua depois do anúncio

    O império Adobe nos apps de criatividade

    A Adobe ficou muito conhecida depois do desenvolvimento do Photoshop, ou melhor, da compra do software, já que a ferramenta foi criada pelos irmãos Thomas e John Knoll lá em 1989.

    O Photoshop 1.0 foi adquirido pela Adobe e foi lançado em 19 de fevereiro de 1990 exclusivamente para usuários Macintosh. Foi só uma questão de tempo até que o software chegasse para todos e conquistasse cada vez mais espaço no mercado.

    Conforme a Adobe foi ganhando destaque, empresas como Macromedia (criadora do Flash e Fireworks), Aldus e Corel Corporation, que ficou muito conhecida por ser a principal concorrente da empresa.

    Inscreva-se para receber nossas notícias e novidades em seu e-mail e cancele quando quiser.

    Se consagrando como o “Facebook da criatividade“, a Adobe seguiu comprando seus concorrentes em potencial e a Aldus passou a integrar a empresa com o PACo, que em um futuro próximo passou a se chamar After Effects.

    E as “photoshopadas”?

    Com o passar do tempo, o Photoshop foi ganhando cada vez mais destaque e conseguiu se tornar até mesmo sinônimo de edição de imagem. O verbo “photoshopar” passou a existir para indicar “editar uma imagem” e assim o software foi ganhando destaque.

    Continua depois do anúncio

    A estagnação do Photoshop

    Desde sua versão 7, já faz um tempo que o Photoshop realmente não inova com suas funções a ponto de justificar o preço alto de sua assinatura, mas ainda assim o software se fortificou para consolidar o monopólio da Adobe.

    Matheus destaca que existem empresas de edição que estão investindo muito mais do que a Adobe, entretanto elas acabam se dividindo em diversos segmentos diferentes como IA, remover fundo de fotos etc.

    Ao que tudo indica, a Adobe agora está investindo em entrar em novos mercados para conquistar cada vez mais assinantes e expandir seu portfólio de alcance, com ferramentas cada vez mais específicas para determinados tipos de profissionais.

    Continua depois do anúncio

    A disputa com os concorrentes

    A Adobe é muito reconhecida – e isso é um fato incontestável, mas isso não significa que não hajam concorrentes para suas ferramentas, como é o exemplo de Avid e Final Cut, que são concorrentes do After Effects e Premiere.

    Acontece que o Avid e o Final Cut são utilizados pela indústria de Hollywood e qualquer outro que tente entrar nesse meio acaba sendo ridicularizado. A ação da Adobe para lutar contra esse estigma foi fazer com que filmes como Deadpool fossem editados em seus programas para mostrar a excelente performance.

    Victor aponta a eficácia do Vegas quando o assunto é edição de vídeo e que softwares da Adobe acabam ganhando mais destaque por conta de seu nome. Para Matheus, a Adobe acertou em criar a Creative Cloud, pois embora seja possível utilizar outros softwares para diversas coisas, é muito difícil fugir do Photoshop para edição de imagem e, por esse motivo, vale muito mais assinar o pacote completo da Adobe.

    Os problemas com a pirataria

    A pirataria é o maior inimigo da Adobe e acaba virando um paradoxo ao se deparar que há muita pirataria dos softwares por conta da fama da empresa e pode-se dizer que a empresa possui fama por conta da popularização causada pela pirataria.

    Continua depois do anúncio

    Para enfrentar esse inimigo, a Adobe trabalha com um sistema rigoroso anti-pirataria e promove descontos para estudantes e para agências. Entretanto essas estratégias ainda não são o suficiente e a verdade é uma só: piratear não é uma tarefa fácil (ao menos não tanto quanto assinar os aplicativos corretamente). E um bom exemplo disso são as plataformas de streaming, que conseguiram combater a pirataria entregando preços acessíveis para seus consumidores.

    A chegada do mobile

    Com a chegada dos smartphones e seus processadores mais potentes, os aplicativos passaram a ganhar cada vez mais espaço no cotidiano do consumidor e isso fez com que a Adobe perdesse um pouco de seu reino.

    A Apple, por exemplo, faz muito sucesso entre os ilustradores com o ProCreate. O Ilustrador acabou ficando um pouco para trás com a ascensão do ProCreate.

    Nas fotos, aplicativos como Canva, PicsArt e Facetune ganham destaque, enquanto no universo dos vídeos o CapCut e InShot levam vantagem. Matheus mostra um aplicativo de edição de vídeo chamado VN, que também tem ganhado espaço por conta de suas variadas funções.

    Continua depois do anúncio

    Erik aponta que o único cenário onde a Adobe conseguiu participar de maneira efetiva no mobile foi com edição de imagem, com o Lightroom. O aplicativo faz muito sucesso entre os fotógrafos de celular que compartilham e vendem filtros.

    Vale lembrar que o mercado mobile ainda é iniciante e com certeza ainda tem muito a oferecer. Seja com smartphones ou tablets, já existem pessoas que trabalham apenas utilizando aplicativos disponíveis para determinados tipos de serviços.

    A ascensão da Serif

    Chegando aos poucos para conquistar seu espaço, a Serif é uma marca que promete bater de frente com o monopólio da Adobe. A empresa conta com três aplicativos que cumprem funções semelhantes a concorrência com um valor mais acessível.

    • Affinity Designer: Descrito pelo próprio site como “O melhor da categoria na criação de arte conceitual, projetos de impressão, logotipos, ícones, designs de IU, modelos e muito mais”. Chegou para bater de frente com o Ilustrator.
    • Affinity Photo: Promete ser o concorrente à altura do Photoshop no quesito de manipulação de imagens.
    • Affinity Publisher: Ideal para diagramar, este aplicativo chega como concorrente direto do InDesign.

    Cada um dos softwares chega pelo preço de US$ 54,99 (aproximadamente R$ 280) e são vendidos, ou seja, você paga uma vez e comprou. É seu. Já na Adobe, a assinatura da Creative Cloud custa R$ 224 por mês.

    Continua depois do anúncio

    Infelizmente a Affinity ainda não possui um aplicativo para edição de vídeo, mas é sem dúvidas bastante promissor como concorrente da Adobe.

    Há também o programa DaVinci Resolve, que é totalmente gratuito e funciona muito bem para edição de vídeos.

    Perguntas no Instagram

    No Instagram @geekpublicitario e @breakpublicitario foi perguntado para os ouvintes do podcast qual é o aplicativo que eles utilizam para editar imagens. Dentre os sugeridos estão: Lightleap, Snapseed, VSCO, Lightroom.

    Considerações finais

    Diferente do Facebook, a Adobe mantém sim seu monopólio, mas ainda consegue administrar seus softwares bem mesmo sem lançar alguma novidade muito relevante. Obviamente isso não é o suficiente para evitar concorrentes que podem muito bem sair na frente lançando ferramentas mais inovadoras.

    Além disso, a empresa também precisa buscar formas de oferecer mais acessibilidade para seus consumidores se quiser realmente combater a pirataria, pois novos concorrentes irão aparecer a todo momento oferendo novidades e melhores preços.

    Continua depois do anúncio

    Caso você tenha interesse em conferir toda conversa do podcast sobre o Monopólio da Adobe na íntegra você pode ouvir ou assistir o Break Publicitário em todas as plataformas digitais.

    - Publicidade -

    Últimos stories

    Conheça a história de...

    Abrangendo as dezesseis primeiras edições dos quadrinhos, a série Sandman chegou hoje à Netflix com seus dez episódios

    Kevin Feige demonstra apoio...

    Chefão da Marvel Studios manda mensagem em solidariedade aos diretores de Batgirl que foi cancelado pela Warner

    Xbox Game Pass começa...

    O Game Pass plano família ainda está em fase de testes, disponível apenas na Colômbia e na Irlanda e somente para inscritos no Xbox Insiders

    Rony Weasley autografa nova...

    Para deixar os Potterheads alucinados, Rupert Grint passou na loja da Chilli Beans no aeroporto de Guarulhos e deixou uma surpresa
    Publicidade

    🔥 Em alta agora:

    Amazon anuncia suas primeiras produções originais da Nigéria

    A Amazon anunciou hoje os seus dois primeiros projetos originais feitos na Nigéria, país africano que é um mercado chave e estabelecido para o...

    GKPB Em Vídeo

    Publicidade
    Publicidade

    Conecte-se

    63,812FãsCurtir
    118,838SeguidoresSeguir
    14,500InscritosInscrever
    Publicidade