Mais
    InícioPublicidadeSustentabilidadeCorona e Rappi ajudam consumidor a identificar restaurantes com práticas mais sustentáveis

    Corona e Rappi ajudam consumidor a identificar restaurantes com práticas mais sustentáveis

    A Corona se uniu ao Rappi para a criação do selo Less Plastic, que mostra para o consumidor restaurantes com práticas sustentáveis.

    Publicidade

    A Corona é sempre bem empenhada com práticas de sustentabilidade e dessa vez conta o Rappi para auxiliar na conscientização sobre o tema. As duas marcas estão unidas para ajudar os consumidores a identificar restaurantes com práticas mais sustentáveis.

    Por conta da pandemia, o delivery passou a ser muito mais utilizado do que era em um momento anterior e isso significa que o uso de plástico descartável também aumentou consideravelmente. De acordo com estudo realizado pela startup de gestão financeira Mobilis, o uso de embalagens descartáveis de plástico aumentou em 149%, chegando até a extrapolar a capacidade da lixeira de casa e contribuindo para o que pode representar um crescimento de até 25% na produção de lixo domiciliar.

    Continua depois do anúncio

    A Corona é a primeira marca global de bebidas a se tornar neutra em resíduos plásticos e agora estende essa meta para tornar os pedidos de delivery em São Paulo e Rio de Janeiro um pouco mais conscientes juntamente com o Rappi.

    A Ambev e o aplicativo de entrega convidaram os estabelecimentos a aderirem ao selo Less Plastic, que vai ajudar o público a identificar os negócios que adoram práticas mais sustentáveis. Como incentivo, a Corona vai disponibilizar gratuitamente mais de 31 mil embalagens para dezenas de lojas.

    Continua depois do anúncio

    As embalagens são feitas de fécula de mandioca que, conforme testes apresentados, levam aproximadamente 12 semanas para completa decomposição (enquanto o plástico leva anos) e podem ser utilizados como adubo ao final do processo de compostagem.

    Inscreva-se para receber nossa newsletter e cancele quando quiser.

    Embalagens de fécula de mandioca Less Plastic – Corona x Rappi (Foto: Reprodução Corona)

    Quando se esgotarem as embalagens de cortesia, todos os estabelecimentos terão acesso aos fornecedores dos materiais, podendo adquirir as embalagens por valores próximos aos dos embrulhos de plástico, que geram um impacto maior e mais complexo à cadeia de coleta e reciclagem. Os usuários que pedirem suas refeições nos restaurantes com o selo Less Plastic não só vão poder fazer melhores escolhas e reduzir sua própria pegada de plástico, mas também ganhar desconto na compra de Corona Extra.

    “Corona nasceu na praia e é profundamente conectada com a natureza. Um dos nossos principais valores é a sustentabilidade e a proteção dos oceanos, principais afetados pela poluição plástica que começa nas nossas cidades”, explica João Pedro Zattar, head de marketing de Corona. “Sabemos que não conseguimos fazer isso sozinhos, então buscamos nos unir a parceiros e pessoas que, assim como nós, entendem a importância dessa mudança de hábitos. Não é comum encontrar curadorias que ajudem a escolher restaurantes com um menor impacto ambiental. A parceria entre Corona e Rappi torna isso mais fácil, apoiando o público a dar o primeiro passo em direção a uma vida mais eco consciente”.

    Continua depois do anúncio

    “É com bastante orgulho que o Rappi se une ao movimento de consumo sustentável por meio da adoção de medidas que visam à redução da poluição plástica”, afirma Anna Fleury, gerente de relações públicas do Rappi. “Nosso objetivo é conscientizar os usuários e os estabelecimentos acerca do impacto das embalagens de plástico, bem como estimular as empresas, indústrias e o comércio a buscarem soluções inovadoras para tornar a produção e o consumo mais conscientes e sustentáveis”.

    O Brasil é o quarto maior produtor de lixo plástico do mundo, com cerca de 11,3 milhões de toneladas ao ano. Mais de 10,3 milhões de toneladas desse total são coletadas (91%), mas só 145 mil toneladas, apenas 1,28%, chegam a ser efetivamente recicladas para se tornar produtos secundários, de acordo com pesquisa do Banco Mundial divulgada em 2019.

    Em contrapartida, 72% dos consumidores dizem que gostariam de receber seus pedidos de delivery sem plástico descartável e 15% destes ainda afirmam que já deixaram de comprar por se sentirem desconfortáveis com a quantidade de plásticos, aponta estudo divulgado em 2021 pelo Ipec (Inteligência de Pesquisa e Consultoria).

    Continua depois do anúncio

    A Corona também lançou recentemente o webapp Plastic Reality (Realidade do Plástico), uma ferramenta gratuita para calcular a quantidade individual de lixo consumida no ano – o usuário responde a perguntas básicas sobre seus hábitos e visualiza sua pegada por meio de pedaços de plástico de Realidade Aumentada, inseridos virtualmente no mundo físico. Como a primeira marca global de bebidas neutra em resíduos plásticos, a cerveja da Ambev hoje recupera e recicla mais plástico do que utiliza. No Brasil, já limpou 1,2 milhão de m² de praias, recolhendo mais de 5,4 toneladas de lixo descartado de forma irregular. Em fevereiro, abriu as estações Protect Paradise, com containers em Fernando de Noronha (PE) e Trancoso (BA) para coleta, reciclagem e transformação de plástico, podendo processar até 3 toneladas de plástico por mês.

    Publicidade

    GKPB Em Vídeo

    Ouça nosso Podcast!

    Publicidade
    Publicidade

    Conecte-se

    64,504FãsCurtir
    110,213SeguidoresSeguir
    14,500InscritosInscrever

    Para Você

    Publicidade