Mais
    InícioAlimentos & BebidasCervejaria Dádiva cria latinha misteriosa para o Dia da Mulher

    Cervejaria Dádiva cria latinha misteriosa para o Dia da Mulher

    "Nosso Silêncio Deixa Marcas", diz texto oculto em lata da Cervejaria Dádiva em campanha para o Dia Internacional da Mulher

    Publicidade

    Dia 08 de março é o Dia Internacional da Mulher, e a Cervejaria Dádiva criou uma campanha bem diferente e inovadora para incentivar um debate importante, dessa vez sobre o silêncio da sociedade em relação a violência doméstica contra a mulher.

    O nome da campanha “Nosso Silêncio Deixa Marcas” vem estampado na lata da cerveja, mas estará coberto por uma fita. A ideia é que quando a pessoa que comprou a latinha tire essa fita, ela imediatamente entre em contato com o tema e o assunto seja colocado em pauta ali mesmo, na mesa do bar ou em casa.

    Continua depois do anúncio
    Latinha misteriosa da Cervejaria Dádiva.

    “O machismo age de forma muitas vezes silenciosa e naturalizada socialmente. O que torna qualquer tipo de violência contra a mulher, seja ela psicológica ou física, um problema comunitário, uma responsabilidade de quem se cala diante disso. Essa é uma luta que deve ser travada por todos”, pontua Luiza Lugli Tolosa, sócia fundadora da cervejaria Dádiva.

    Além disso, ao ver o rótulo o consumidor também será convidado a procurar sobre o tema no Instagram e Facebook da marca, onde tem as informações sobre a campanha, conteúdo sobre violência doméstica e indicações de projetos que apoiam mulheres que passam por esse tipo de situação.

    Importância do Dia das Mulheres para a Cervejaria Dádiva

    Muitas vezes, mulheres sofrem violência doméstica e não sabem que vivem uma situação de abuso. Em outras, ela têm conhecimento do fato, mas não denunciam seu agressor porque sentem vergonha, já que são manipuladas por ele a se sentirem culpadas de alguma forma.

    Inscreva-se para receber nossas novidades e cancele quando quiser.

    O medo do que pode acontecer ou de serem desacreditadas pelas pessoas também pode ser um obstáculo para a denúncia. Já que mesmo em casos em que a denúncia é feita, muitos agressores não são punidos, além da mulher não ter suporte para prevenir novas agressões.

    Por isso, é preciso mudar o foco da responsabilidade: a denúncia é uma responsabilidade coletiva, não da mulher agredida. Muitas pessoas ainda se calam quando o agressor é alguém próximo (irmão, amigo, primo), ou dão desculpas como “em briga de marido e mulher não se mete a colher” ou “ela é dramática”.

    Continua depois do anúncio

    “O nosso objetivo com a campanha é chamar as pessoas à responsabilidade e oferecer informação para que se discuta o assunto, além de apresentar canais de apoio às vítimas”, explica Luiza.

    Publicidade

    GKPB Em Vídeo

    Publicidade
    Publicidade

    Conecte-se

    64,353FãsCurtir
    110,213SeguidoresSeguir
    14,500InscritosInscrever

    Para Você

    Publicidade